Principalmente, computação em nuvem é o conjunto de recursos computacionais incluindo software e hardware hospedados na Internet. Em resumo estes recursos podem ser: servidores, análises, administração de redes, bancos de dados,  armazenamento de informações e softwares.

Certamente você  precisará de aconselhamento que o levem a uma decisão correta a fim estabelecer parcerias com estes prestadores. Então vamos falar sobre isso mais  tarde ! Primeiro vamos conhecer o que é computação em nuvem e sua a abrangência, seus componentes e a classificação de serviço.

História da computação em nuvem

Embora o termo “computação em nuvem” ter se popularizado nos últimos dez anos, o termo surgiu na década de 1960. O criador da Arpanet JCR Licklider já imaginava um mundo onde todas as pessoas conectadas e acessando um único sistema.

Assim como nessa década o americano John McCarthy, sugeriu a ideia de que os recursos computacionais fossem comercializado como serviços básicos.

Estes serviços deveriam ser tratados como serviços públicos (como água e luz) como resultado só seriam pagos apenas pelo que for utilizado, pelo tempo utilizado.

As aplicações na nuvem são muito conhecidas

Com toda a certeza você conhece serviços em nuvem como Netflix, Dropbox e Spotify e iCloud. Estas plataformas de serviços todos trabalham online e são a prova de que este conceito veio para ficar. A rotina diária pessoal e profissional moderna é repleta de aplicativos na nuvem. Elas são produtos tecnológicos  destinados a criar uma melhor experiência na execução de tarefas de trabalho e de  entretenimento.

No Brasil também existem muitas startup e empresas consolidadas lançando produtos na nuvem. Dentre as principais podemos destacar o NuBank, o GuiaBolso, a Stone Pagamentos e a Loggi. Esta empresas inovam na forma de resolver problemas de seus clientes. Entretanto elas fazem isto sem realizarem qualquer tipo de atendimento presencial. Não só os servidores que estão na nuvem mas também todos os processos de negócio.

Existe também um setor no Brasil onde vêm sendo criados diversos produtos na nuvem, é o de automação de tarefas de escritórios.

Empresas como ContaAzul, Nibo, ZeroPaper e Contabilizei merecem destaque pelos produtos que criaram.

Todos este aplicativos acima mencionados só funcionam graças aos sistemas apoiados pela computação em nuvem.

Áreas de atuação da computação em nuvem

Entre as principais áreas de atuação de serviços da computação em nuvem estão:

  • Desenvolvimento de aplicativos e outros serviços.
  • Análise de dados e criação de modelos ou padrões de previsão nos negócios.
  • Desenvolvimento e administração de software.
  • Armazenamento, backup e recuperação de dados.
  • Compartilhe vídeos, fotos e áudios.
  • Serviços de hospedagem de sites.

Vantagens da computação em nuvem:

1. Disponibilidade e Confiança

Como os provedores de serviços de nuvem conseguem abrigar milhares de clientes em uma mesma infraestrutura, os grandes investimentos necessários são diluídos permitindo melhores indicadores de disponibilidade de cada serviço.

2. Redução nos gastos com tecnologia

A computação em nuvem reduz custos na aquisição de software e hardware. Da mesma forma, otimiza os recursos investidos na manutenção de data centers, servidores e sistemas elétricos. Os responsáveis pelo departamento de TI podem optar por utilizar softwares com melhor qualidade e um custo mais adequados ao orçamento disponível no negócio.

Novos negócios são criados utilizando a nuvem como base e de fato muitos deles resolvem problemas específicos com custos bem reduzidos.

Outra forma de fazer uso de alta capacidade computacional com baixo custo é a possibilidade de contratação temporária dos serviços. Assim sendo possível ser cobrado até mesmo por minutos.

Com a chegada de gigantes da indústria de TI neste mercado como a Microsoft e Google a oferta de serviços robusto foi bastante ampliada. Em um mercado onde a Amazon (com o AWS) lidera com margem os seus rivais.

3. Desempenho

Os maiores e mais poderosos provedores de serviços de computação em nuvem são executados em redes globais e em data centers seguros. Como resultado são constantemente atualizados com hardware e softwares mais eficientes.

Estes recursos de alta capacidade computacional estão ao alcance dos departamentos de TI das empresas e instituições.

Também há espaço para novos negócios que ainda não possuem tanto poder computacional no entanto podem oferecer soluções sob medida para ninhos de mercados não abordados pelos gigantes da tecnologia.

4. Produtividade e foco

A computação em nuvem é um recurso muito importante para que a empresa possa direcionar seu foco para tarefas de maior relevância e desempenho pro negócio.

De mesmo modo, com o bom uso da tecnologia de computação em nuvem, a empresa pode optar mixar as aplicações instaladas em seus escritórios e aplicações na nuvem.

5. Agilidade

A maioria dos provedores de computação em nuvem é composta de recursos de autoatendimento de tal forma que os recursos de computação e processos são totalmente automatizados. Isto permite que as empresas tenham essa grande agilidade refletida em seus processos de negócio.

6.Suporte

Nem todas as empresas que fornecem aplicações na nuvem possuírem suporte com atendimento 24 por 7. Nestes casos atendimento não estará sempre a disposição contudo a disponibilidade dos seus serviços estarão. Cada tipo de atendimento oferecido deve ser avaliado.

Desvantagens da computação em nuvem:

  • Exportação de dados. Como cada plataforma possui sua própria modelagem de dados e não existem regulamentações específicas. Por isto é comum encontrar dificuldade na importação e exportação de dados para migrações entre serviços. Um exemplo deste tipo pode ser citada a plataforma de criação de sites Wix.
  • Sobretaxa de impostos. De fato muitos países possuem impostos adicionais para serviços contratados em centros de dados não localizados no território. O Brasil é um caso deste.
  • Visibilidade para Cyberataques. Nossa experiência demonstra que serviços abrigando em grandes provedores de nuvem são mais visados a ataques em contraste com serviços hospedados em infraestrutura própria com baixa visibilidade.

3 tipos de implementações em nuvem:

Nuvem pública

Nuvem pública é classificação dada para serviços na Internet, onde todos os softwares e equipamentos envolvidos na prestação dos serviços estão localizados na Internet e oferecem serviços ao público em geral.

Geralmente o todo o serviço é recebido utilizando um navegador ou um aplicativo e podendo também ser consumido utilizando API.

Nuvem privada

Nuvem privada por sua vez, é classificada quando os recursos computacionais são exclusivos para um única empresa ou instituição. Estes recursos (softwares e equipamentos) podem estar num data center de um provedor ou dentro das instalações da própria empresa. Em resumo, a nuvem privada é aquela que os serviços e a infraestrutura são mantidos em um rede privada.

Nuvem Híbrida

Nuvem híbrida se caracteriza por ser uma combinação entre a nuvem pública e a privada. Normalmente estas duas redes são interconectadas utilizando tecnologias de integração entre as plataformas como REST API e Web Services

Quais são as principais modalidades de contratação de serviços na nuvem ?

1. Infraestrutura como Serviço (IaaS):

É uma infraestrutura computacional instantânea e gerenciada pela internet.

Uma de suas  principais características é evitar custos adicionais e a complexidade do gerenciamento de  servidores, equipamentos de redes sistemas de armazenamento, no-breaks e sistemas de resfriamento de Data Centers. Você só precisa adquirir os recursos que precisa usar.

O prestador de serviços gerencia a infraestrutura. Enquanto a empresa instala, configura e gerencia sua própria aplicação, sistema operacional e bibliotecas.

Exemplos de IaaS são Amazon EC2, GoGrid, Microsoft Azure e Google Compute Engine

Benefícios da IaaS:

  • Em primeiro lugar, não é necessário saber onde estão os dados no entanto eles estão sempre disponíveis.
  • Em segundo lugar, melhorias na recuperação de desastres e continuidade dos negócios: o IaaS oferece alta  disponibilidade, continuidade e recuperação de desastres.
  • Em terceiro lugar a Estabilidade e a confiabilidade: pois com o IaaS, não há necessidade de manter, atualizar software de infraestrutura, modificar componentes de hardware ou utilizar sua equipamento para lidar com estas demandas, pois o provedor de serviços é responsável pela infraestrutura.
  • Da mesma forma a adaptação às condições de negócio: Com disponibilidade rápida e flexível de recursos para se  adaptar ao aumento da demanda pontuais nas aplicações. Quando a situação voltar ao normal, os recursos podem ser reduzidos para não onerar desnecessariamente. Dessa maneira o conceito servidores elásticos, eles podem aumentar e diminuir a quantidade de servidores disponíveis, a quantidade de processamento memória e armazenamento.

2. Plataforma como Serviço (PaaS):

A plataforma como um serviço (PaaS) é um ambiente para desenvolvimento de aplicativos na nuvem. Um provedor desse tipo serviço fornece componentes comuns a muitos aplicativos enquanto a empresa pode focar no desenvolvimento.

No IaaS o código com a lógica do seu negócio e todas as dependências necessárias se integra igualmente a toda a plataforma. Este tipo de serviço é escolhido por programadores pois uma vez escolhido o sistema desenvolvido ficará restrito à esta plataforma.

Só para exemplificar alguns casos de de PaaS são: Google AppEngine e o Red Hat OpenShift

Benefícios do PaaS:

  • Tempo de codificação reduzido. As ferramentas de desenvolvimento de PaaS reduzem o tempo gasto na codificação de novos sistemas.
  • Ferramentas tecnológicas modernas. O modelo de serviço PaaS permite o acesso a ferramentas analíticas e business intelligence. Outros softwares necessários já são embutidas nas plataformas.
  • Desenvolvimento para múltiplas plataformas. Oportunidades para desenvolver em  diversas plataformas como: computadores, celulares e navegadores que permitem a criação mais rápida e fácil de aplicativos.

3. Software como serviço (SaaS):

  • No modelo SaaS todos os componentes necessários para o Software funcionar é de responsabilidade do prestador de serviços. Estes componentes incluem todo código da aplicação, backup, segurança igualmente os componentes de infraestrutura. Soluções comuns são os serviços de automatizações de vendas SalesForce e ferramentas de colaboração, como o  Microsoft Office 365. O SaaS oferece o uso de um aplicativo para que os usuários se conectem a eles pela Internet de forma utilizando apenas navegadores ou aplicativos móveis.
  • Exemplos de bons cases brasileiros de SaaS são: ContaAzul, Nibo, ZeroPaper e Contabilizei.

Benefícios do SaaS:

  • Os provedores de produtos na modalidade SaaS fornecem aos usuários aplicativos e sistemas de grande relevância o negócio, adicionando recursos ou auxiliando nas estratégias. Existem desde soluções completas (ERP, CRM) a ferramentas com propósitos específicos. Algumas existe para apenas ajudar a calcular a margem de contribuição para formação de preço conforme faz a empresa precocerto.co.
  • Você pode executar a maioria dos aplicativos SaaS da  Web sem fazer o download ou instalar aplicativos especiais ou adicionais. Os usuários precisam apenas utilizando um navegador Web.
  • O acesso aos dados pode ser feito de  qualquer lugar: Com as informações armazenadas na nuvem, os  usuários podem acessá-los de qualquer dispositivo, seja móvel ou desktop. Com toda a certeza, uma das  grandes vantagens é que a informação não é perdida em caso de danos ao computador ou  telefone celular.
  • Facilidade de substituição de softwares empresariais, visto que em sua grande maioria estes provedores oferecerem períodos de demonstração e até mesmo versões minimizadas dos aplicativos de forma gratuita.

Já sabe o que é computação em nuvem ? Agora como a ThinkSmart pode ajudá-lo

Antes de mais nada, nós podemos ajudá-los em suas definições de cenários com o uso de sistemas em nuvem, levantamento e avaliação das arquiteturas de softwares atuais e possíveis projetos de migrações. Além disso trabalhamos com parceiros que possuem produtos de TI já em plataformas de nuvem. Por exemplo, a Microsoft e SolarWinds são nossos parceiros estratégico.

Em resumo nenhum serviço tem 100% de chance de que nunca vai sair do ar. Portanto nenhuma empresa precisa investir tanto para que seu negócio fique resiliente a este ponto.

É importante contar com um parceiro que possa ajudá-lo na escolha de plataformas que atendam às necessidades do negócio. Afinal esta escolha também busca encontrar uma boa relação custo-benefício.